Envie sua Redação: Maio



Texto 01
"Os aparatos policiais preocupam-se basicamente com a segurança coletiva. Espera-se que a melhoria da segurança pública diminua proporcionalmente o grau de risco das pessoas à violência. Mas crimes e vítimas sempre existirão. Daí a importância dos cuidados que as pessoas devem ter consigo mesmas, com seus familiares e com seus bens materiais para reduzir as possibilidades de se tornarem vítimas dos criminosos."

Coronel José Vicente da Silva Filho, Secretário Nacional da Segurança Pública
Texto 02
Se a violência é urbana, pode-se concluir que uma de suas causas é o próprio espaço urbano? Os especialistas na questão afirmam que sim: nas periferias das cidades, sejam grandes, médias ou pequenas, nas quais a presença do Poder Público é fraca, o crime consegue instalar-se mais facilmente. São os chamados espaços segregados, áreas urbanas em que a infra-estrutura urbana de equipamentos e serviços (saneamento básico, sistema viário, energia elétrica e iluminação pública, transporte, lazer, equipamentos culturais, segurança pública e acesso à justiça) é precária ou insuficiente, e há baixa oferta de postos de trabalho.

Esse e os demais fatores apontados pelos especialistas não são exclusivos do Brasil, mas ocorrem em toda a América Latina, em intensidades diferentes. Não é a pobreza que causa a violência. Se assim fosse, áreas extremamente pobres do Nordeste não apresentariam, como apresentam, índices de violência muito menores do que aqueles verificados em áreas como São Paulo, Rio de Janeiro e outras grandes cidades. E o País estaria completamente desestruturado, caso toda a população de baixa renda ou que está abaixo da linha de pobreza começasse a cometer crimes.

Outros dois fatores para o crescimento do crime são a impessoalidade das relações nas grandes metrópoles e a desestruturação familiar. Esta última é causa e também efeito. É causa porque sem laços familiares fortes, a probabilidade de uma criança vir a cometer um crime na adolescência é maior. Mas a desestruturação de sua família pode ter sido iniciada pelo assassinato do pai ou da mãe, ou de ambos.

No entanto, alguns especialistas afirmam que essa causa deve ser vista com cautela. Desestrutura familiar, por exemplo, não quer dizer, necessariamente, ausência de pai ou de mãe; ou modelo familiar alternativo. A desestrutura tem a ver com as condições mínimas de afeto e convivência dentro da família, o que pode ocorrer em qualquer modelo familiar.

Também não é o desemprego. Mas o desemprego de ingresso – quando o jovem procura o primeiro emprego, objetivando sua inserção no mercado formal de trabalho, e não obtém sucesso – tem relação direta com o aumento da violência, porque torna o jovem mais vulnerável ao ingresso na criminalidade. Na verdade, o desemprego, ou o subemprego, mexe com a auto-estima do jovem e o faz pensar em outras formas de conseguir espaço na sociedade, de ser, enfim, reconhecido.em conseguir entrar no mercado de trabalho, recebendo um estímulo forte para o consumo, sem modelos próximos que se contraponham ao que o crime organizado oferece (o apoio, o sentimento de pertencer a um grupo, o poder que uma arma representa, o prestígio) um indivíduo em formação torna-se mais vulnerável.

O crescimento do tráfico de drogas, por si só, é também fator relevante no aumento de crimes violentos. As taxas de homicídio, por exemplo, são elevadas pelos “acertos de conta”, chacinas e outras disputas entre traficantes rivais. E, ainda, outro fator que infla o número de homicídios no Brasil é a disseminação das armas de fogo, principalmente das armas leves. Discussões banais, como brigas familiares, de bar e de trânsito, terminam em assassinato porque há uma arma de fogo envolvida.

Disponível em: http://www.serasaexperian.com.br/guiacontraviolencia/violencia_causa.htm
Texto 03
Charge de Carlon Durek
INSTRUÇÕES PARA REDAÇÃO
Tomando como base os textos de apoio e o conhecimento formado ao longo de sua vida, redija um texto dissertativo-argumentativo em até 30 linhas com o seguinte tema:

Violência urbana: uma ferida no corpo social


Não se identifique. Qualquer tipo de identificação implicará em anulação da questão. Respeite os direitos humanos.

Se preferir, você pode fazer o download em PDF da Proposta de Redação:


Mais informações de como enviar, clique aqui



Luiz Henrique

Luiz Henrique, cristão, analista de sistemas, programador e webdesigner, cursado em Webdesign, vive através da fé e louvor a Deus. Graduando em Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas pela UFPR


0 comentários • Comente »:

Postar um comentário

O EstudaJovem é um blog cujo objetivo é te ajudar. Ajude-nos a melhorar, expondo sua opinião. Comente!

EstudaJovem nas Redes Sociais

Siga-nos no Facebook

Colabore com o portal

Seguidores Blogger

Seguidores Google+

Oportunidades