Questões do Enem vão ter 'bunker' para evitar fraudes

A partir do próximo ano, as provas do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) serão elaboradas numa espécie de caixa-forte montada na nova sede do Inep, órgão do Ministério da Educação responsável pelo exame.

A intenção é que o espaço, com alta segurança e vigilância reforçada, ocupe um dos pavimentos do edifício.
Ali será analisado o conteúdo do Banco Nacional de Itens, que reúne questões dos exames sob comando do instituto, como Revalida, Prova Brasil, Celpe-bras (exame de proficiência em português) e o Enem.
Principal porta de entrada nas universidades federais, o Enem passou por falhas de segurança no passado: em 2009, a prova foi furtada da gráfica que a imprimia.
Em 2011, alunos de um colégio particular em Fortaleza receberam, antes do exame, material com questões que caíram na prova.

As questões da prova são elaboradas em instituições públicas de ensino superior e encaminhadas por um sistema eletrônico a Brasília, onde são revisadas por especialistas, que montam o exame.
No ano passado, o órgão já havia reforçado a segurança na aplicação do Enem, instalando lacres eletrônicos em parte dos malotes das provas. Neste ano, o dispositivo será usado em todos os pacotes.


Ao todo, serão 21 salas de trabalho com capacidade para até dez pessoas, cujo acesso será permitido após rigorosa triagem. Todo o espaço, estimado em 988 m², estará sob vigilância de 101 câmeras de circuito interno.

"O ambiente físico integrado para proteção de informações sigilosas deverá controlar o acesso dos usuários com tecnologia biométrica digital, scanner humano, porta eclusa, sistema de monitoramento de imagens e de um sistema integrado de CFTV [circuito fechado de TV]", afirma edital de licitação para construção do espaço.

Segundo o presidente do Inep, Luiz Claudio Costa, a sede atual possui duas salas de modelo semelhante, que "atendem com limitação" as necessidades do órgão.

O objetivo do novo espaço, afirma, é engordar o banco de itens de forma mais rápida. "Se eu puder trabalhar ao mesmo tempo [as questões de diferentes provas], posso otimizar minha produção de itens", afirmou.

De acordo com Costa, com a estrutura atual é necessário estabelecer quase um "calendário rotativo", em que os revisores das questões têm que se alternar no mesmo espaço.

As propostas das empresas interessadas em participar do processo começarão a ser analisadas na próxima semana. A expectativa do Inep é que o complexo custe R$ 15,2 milhões e esteja funcionando a partir de março de 2014.

Fonte: http://www1.folha.uol.com.br/educacao/2013/09/1337127-questoes-do-enem-vao-ter-bunker-para-evitar-fraudes.shtml


Luiz Henrique

Luiz Henrique, cristão, analista de sistemas, programador e webdesigner, cursado em Webdesign, vive através da fé e louvor a Deus. Graduando em Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas pela UFPR


2 comentários • Comente »:

Postar um comentário

O EstudaJovem é um blog cujo objetivo é te ajudar. Ajude-nos a melhorar, expondo sua opinião. Comente!

EstudaJovem nas Redes Sociais

Siga-nos no Facebook

Colabore com o portal

Seguidores Blogger

Seguidores Google+

Oportunidades